Marcadores

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Simplifique!


        Já teve a sensação de que você disse algo muito simples, mas que foi entendido de outra maneira ou que sofreu uma interpretação equivocada?
        O que o outro entende é um mistério, que talvez nunca seja desvendado. Ainda mais se a pessoa em questão não está a fim de simplificar a sua fala ou situação.
        Simplificar? O que seria isso?
       A vida está tão cheia de excessos de quase todas as ordens que o simples é a nova busca do ser humano. Ser simples, a meu ver, é ser feliz com as coisas que se tem, estar bem com suas escolhas, alegre com as situações e desafios, satisfeito com seus posicionamentos. E isso tudo refletirá na sua comunicação. Quem é simples não fala com interesses subentendidos, não expressa paixões ou ira. Reflete antes de falar.
        Gosto de um ponto de vista sobre o simples que não me lembro de quem é, mas que, pelo menos para mim, faz todo o sentido: simples é aquilo do qual não se tem dúvidas.    Há também outro apontamento sobre o simples, um provérbio chinês, que diz assim: "é preciso ficar longe daqueles (e das situações) que matam o que é simples".
        Como alguém poderia matar o que é simples?
      Mata-se o simples, a toda hora e a todo momento. E a comunicação é o meio, pelo qual, esse movimento é realizado. Por isso, simplificar o que se diz é tão importante. Trago, abaixo, alguns exemplos de como as pessoas não simplificam sua fala. Não são simples...

...aqueles que não entendem seus sentimentos. E que, por isso, despejam sobre os outros os seus descontentamentos, verbalizando sua amargura;
...aqueles que acreditam que são superiores e que, por isso, tornam sua comunicação de difícil acesso para que os outros não entendam;
...aqueles que acionam uma pessoa, mas, sem qualquer responsabilidade de troca justa, acabam não respondendo ou encerrando o diálogo, deixando seu interlocutor no vazio;
...aqueles que verbalizam a indireta ou a provocação, sem permitir ao outro um diálogo mais eficiente ou até conclusivo;
...aqueles que ferem sem entender o peso das palavras, fazendo com que os outros sofram;
...os maledicentes, que não trazem pureza no coração e que só percebem maldade nos outros;
...aqueles que erram com uma pessoa e que, pela falta de humildade, preferem difamar (ou culpar mesmo) o outro para se safar;
...aqueles que zombam dos outros, verbalizando sua ignorância, por não entender as diferenças;
...aqueles que desconhecem a compaixão e ridicularizam os sentimentos mais nobres.
        Simplificar a fala pode ser um movimento muito simples. Para isso, é necessário que você entre em um processo colaborativo. Afinal, será preciso...

...entender, todos os dias, como está seu coração;
...simplificar sua fala para que todos entendam. Simplificar não é vulgarizar, mas falar de um jeito que possa ser acessível a todos;
...entender que quando você aciona alguém, está tomando o tempo dessa pessoa. Diga, claramente, o que deseja com o outro. E encerre o diálogo;
...deixar de fazer indiretas. Você pode optar por maneiras mais eficazes de resolver seus conflitos como, por exemplo, expressando aquilo que sente;
...avaliar o peso das palavras antes de falar. Isso evitará pequenos equívocos a grandes tragédias;
...parar de falar mal dos outros. Tente observar o lado bom de tudo e todos. Afinal, todos tem um lado bom, inclusive você!
...ter humildade para dizer que errou e pedir desculpas. Não culpe terceiros por um erro que cometeu;
...deixar os preconceitos de lado. Pense que aquilo que você não gosta, de repente, não entende apenas. Isso evitará que verbalize palavras preconceituosas;
...abrir seu coração. Se alguém lhe faz uma gentileza e você duvida, talvez seja hora de verbalizar a gratidão, antes de expressar sua dúvida.
        Com esses passos muito simples é possível evitar que aquilo que se diz se torne um enigma para seu interlocutor e termine mal interpretado.
       Simples, não?

p.s: quer encontrar outras dicas de comunicação? Faça os cursos da DNA Comunicativo em formato de áudio. Basta clicar no banner abaixo:



5 comentários:

Alloyse, sempre leio seus textos por que acho que você consegue trazer temas e dilemas muito modernos e colocá-los em linhas simples.
É sempre reconfortante se encontrar com a simplicidade, especialmente das relações entre as pessoas.

Adoro te visitar aqui!
Beijos

oops, acho que mandei dois comentários iguais. sorry. hehe

Venha sempre, Renata.
Fico muito feliz de saber que outras pessoas também abrem seu coração para a comunicação.
Não se preocupe, não teve dois comentários não. E mesmo que tivesse, seriam muito bem vindos. Rssssss.
Abraços e gratidão.

Alloyse, de coração? Texto perfeito. Simples assim.

Obrigada, queridão.
Tudo de bom!

Postar um comentário