Marcadores

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Namastê

        Há algumas interpretações para “Namastê”. Falada com mais frequência na Ásia, a palavra virou hit nas academias de Yoga e se popularizou no Ocidente.
        “Eu me curvo diante de ti” é uma das interpretações para Namastê. Existe outra, a qual (pelo menos, eu acredito) traduz melhor o sentido da palavra. Diz assim: “o Deus que habita em mim saúda o Deus que há em você.” Não existe nada mais lindo quando se consegue reverenciar alguém com o seu coração, permitindo se curvar diante da grandeza dos outros.
        E aí é que está, talvez, um ponto de vista muito sutil sobre a palavra Namastê. Na maioria das vezes, a reverência é realizada para pessoas que são próximas, amigas, e que trazem algum benefício imediato ou a longo prazo. Reconhecer um ato de bondade, uma mão amiga que chega em boa hora, com certeza merece toda a gratidão. Portanto, Namastê! Namastê também para aqueles que trazem sorrisos e distribuem carinho.
        Mas, você seria capaz de reconhecer o Deus que há dentro daqueles que lhe fazem ou fizeram algum “mal”? Sim, existe um Deus dentro deles.
        Quando uma pessoa machuca seu coração, seja por qualquer motivo (desde a ingratidão até a traição), essa pessoa está lhe mostrando inúmeras coisas. A primeira delas é: você precisa de relacionamentos como esse? A segunda é: você precisa mesmo se cercar de pessoas que não lhe respeitam? E, ao mostrar isso, também estão lhe servindo como guias na escuridão de seus sentimentos. Eles vão fazer você chorar, sofrer, vão lhe difamar, vão tentar te ver no chão. Mas, o que alguém que lhe causou um dano não percebe é que funciona como bússola de verdades que ficaram escondidas atrás das ilusões criadas por você.
        Então, por mais que doa, o sofrimento traz a luz da verdade. Traz a percepção de que você merece um outro caminho. De que merece qualquer coisa que não esse sofrimento que lhe foi causado.
        Eu sei que é um pensamento indigesto acreditar que aqueles que lhe fazem “o mal” lhe trazem o bem. Mas, eu não disse que essa digestão ocorre do dia para a noite. É preciso ruminar muitos sentimentos para entender esse mecanismo.
        É preciso entender, acima de tudo, por que é que se chegou àquela situação: por dinheiro? Por carência? Por conveniência? Sua ilusão fortaleceu um pensamento, que virou verdade, então não era verdade, não é mesmo?
        Portanto, quando se percebe a dor (da traição, da mentira, da ingratidão) percebe-se apenas a verdade como ela é. Quer guia melhor para a vida do que a verdade?
        No entanto, muitas vezes ela dói porque a ilusão se pareceu com um grande amor da vida, que, na verdade, era um boicotador. Ou uma amiga querida, que morria de inveja de você, ou ainda um colega de trabalho que não tem um quinto do seu talento e que fala mal de você por trás. Quando as máscaras caem é porque, finalmente, se enxergou a verdade.
        Quem lhe atrapalha, portanto, lhe apresenta oportunidades de ver a vida com outros olhos. Talvez lhe faça enxergar um mundo muito mais amoroso para si mesmo, mais harmonioso e próspero. Fortalecendo-o, fazendo-o crescer, amadurecendo e gerando o autorespeito. Talvez leve um tempo para esquecer, perdoar ou simplesmente não se incomodar mais com o fato. Depende de cada um.
        O que as pessoas que querem lhe prejudicar, como se fosse uma vantagem, não percebem, é que enquanto alguns entendem a vida como possibilidades de aprendizados e crescimento, esses passarão, talvez a vida toda, perdidos entre uma rasteira e outra. E o mais triste: jamais conseguirão reconhecer no outro um “Deus” porque, com certeza, não o reconhecem em si mesmo.  A busca desesperada pela vantagem já é, por si só, a demonstração de um coração vazio de amor verdadeiro.
        E, é nesse momento que é preciso agradecer e reconhecer que aqueles que lhe querem “o mal” lhe serviram como verdadeiros professores da vida. Trouxeram a verdade (mesmo que em forma de dor), comunicaram todas as suas ilusões e mentiras que inventaram para si. Agradeça e deixe a situação ir embora, porque a verdade se pronunciará.

        Portanto, nos desafios da vida (entre o sofrimento e a verdade) quando tudo parecer ruir, curve-se diante do outro e o reverencie.  A verdade jamais lhe será negada. Namastê!






4 comentários:

Lindo e maravilhoso Texto. Realmente me encantou. Namastê!

Namastê Alloyse. E Shalom, muito Shalom!

Postar um comentário