Marcadores

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Por que parece difícil dizer não?



        Você já parou na frente de uma pessoa que lhe faz um pedido, sem saber como dizer “não”? Se isso nunca lhe ocorreu, você não é um humano!
        Brincadeiras à parte, dizer “não” tem sido motivo de sofrimento há milhares de anos. Por isso, não é de se espantar que, em pleno século XXI, com tantas ferramentas de comunicação eficazes e ágeis, ainda é bastante delicado fazer uma negativa.
        Por que se tem medo de dizer um “não”, você já se perguntou? De fato, as pessoas me dizem (e não me convencem) de que é para “não ferir alguém”. Claro, existem inúmeros motivos para se evitar um “não”. Mas, sugiro iniciar por esse: o medo de ferir alguém.
        Quando pergunto às pessoas se elas seriam madrinhas e padrinhos de casamentos de alguém, mesmo não podendo ser ou não querendo, escuto, quase em todas as vezes, que, sim, elas seriam apenas para não ferir alguém. E, então, pergunto, na sequência: mas, você preferiria fazer algo que não quer fazer ou nem pode fazer (às vezes as pessoas não têm dinheiro)? E, então, a resposta é quase sempre sim! E, para ir um pouquinho mais longe, pergunto: quantas vezes você foi verdadeiro com essa pessoa que lhe pede algo que você não quer fazer?
        Em geral, não recebo respostas! E, vou um pouquinho além: quanta honestidade há nessa relação em que você não pode ser você? E, para meu espanto, em geral, recebo a seguinte resposta: nunca pensei nisso!
        Com certeza, é muito duro quando nos pegamos fazendo coisas para “agradar” as pessoas que estão ao nosso redor, sejam elas amigos ou não. Mas, é muito mais duro quando percebemos que não somos capazes de sermos verdadeiros com elas, nem conosco. Acredito que o “medo de ferir” muitas vezes é confundido com a “preguiça de se assumir”.
        E, tenho uma teoria (minha mesmo) sobre esse assunto, que diz assim: não assumimos os nossos posicionamentos quando não somos honestos, nem conosco. Queremos ter papéis, assumir posturas (de boazinhas, por exemplo) e direcionar a culpa para alguém (porque fica mais fácil), quando temos medo de não agradar. É possível agradar o tempo todo? Que chatice! E, além disso, por que é que ser você mesmo não agradaria alguém? Só porque você vai dizer um não?
        Existe uma linha muito tênue entre a verdade e a verdade que queremos passar. Essa segunda é muito dolorosa porque, se não tomarmos cuidado, acabamos virando todos manipuladores. Não poder dizer não, porque, senão, fulano(a) vai dizer não para mim no futuro é manipulação. Não poder dizer não para alguém que me emprestou dinheiro é ser manipulado! Não poder dizer não para quem me deu um emprego ou uma casa, é compactuar com a covardia e assumir a submissão.
        Vale lembrar que quem te deu tudo isso o fez porque assim quis. Não podemos esperar que as pessoas sejam tão conspiratórias e tão manipuladoras quanto a nossa própria mente e, então, acredite na benevolência do mundo. Nem todo mundo quer tirar vantagem! Até porque, quando as pessoas são manipuladoras, nos afastamos naturalmente delas. E quando nós somos manipuladores, as pessoas também se afastam de nós. E, então, vamos chegar a uma outra face do medo de dizer “não”: a maneira como nós enxergamos o amor.
        O amor não é uma moeda de troca. Não existe uma porcentagem x de amor que a pessoa te deu que você terá que retribuir a mesma porcentagem x. Se for isso, é mesquinharia, não é amor. Honestamente, acredito que ter gratidão, nós mostramos com aquilo que podemos mostrar, no momento em que podemos mostrar! Muitas vezes surpreendemos as pessoas não com coisas, mas com posturas. Com amor de verdade, mesmo que venha em formato de um “não”. “Não, amiga, não posso compactuar com o seu ódio”. “Não posso compactuar com suas ilusões”. Não quero ir a seu aniversário porque não gosto de barzinho”. Para mim, isso é amor, porque demonstra que a pessoa se preocupa em ser verdadeiro contigo e não está tentando apenas agradar.
        Então, quando somos verdadeiros o medo de dizer não desaparece.
        Particularmente, acredito que só ferimos alguém quando não deixamos claro quem somos. Não minta, nem para você, nem para os outros. Se você não gosta disso ou daquilo ou não quer fazer, por que continuar insistindo na mentira?
        Existe ainda um outro fator que impede as pessoas de dizerem “não”: a falta de clareza sobre aquilo que se quer. Vou usar uma metáfora para exemplificar: sabe aquele cara com que você sai, de vez em quando, mas não é seu namorado. Daí, você arranja um outro gatinho e o cara fica enciumado. Mas, por que, se não quer assumir um namoro contigo? Então, muitas vezes fazemos isso com as pessoas: “não estou muito certa se quero ir na casa de fulana, mas ainda não tenho outro compromisso em vista. Então, é melhor não dizer “não”. Aliás, é melhor não dizer nada. Aliás, vamos deixar quieto, né? Vou fingir que esqueci, caso arranje outro compromisso!! Não é assim que as pessoas pensam?
        Pois, é. O nome disso é falta de respeito! Se você não sabe o que quer com as pessoas, por que as aborda?
        Portanto, não vejo motivos para não dizer “não”. Tudo pode ser dito com carinho e amor e palavras suaves que, tenho certeza, existem no seu vocabulário. Tem horas que você vai errar no tom das palavras, nos gestos ou tentar encontrar justificativas demais para o seu “não”. Não tem problema! Somos humanos!
        O único problema é: por que “não” tentar ser honesto? 

2 comentários:

Muito legal sua reflexão Alloyse! Parabéns!

Obrigada, querida. Pelo carinho e pela "audiência" no blog.

Postar um comentário