Marcadores

Cursos

Treinamento para falar bem na mídia, palestras, reuniões e vídeo aulas.

Comunicação como ferramenta

Conheça os benefícios de uma comunicação mais eficiente.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Eu converso com o Wilson, e você?


          Essa semana, resolvi dar uma trégua para os assuntos corporativos para debater a comunicação pessoal.        
         Você já se pegou falando sozinho? Dá uma vergonha, né? Parece coisa de gente louca. Já me peguei em altas cenas discutindo comigo mesmo e ainda falando alto. Coisas do tipo: “Que saco, esqueci de comprar tal produto”, quando saía do mercado. Aí, percebi que mais pessoas também falavam sozinhas. Independentemente do lugar, comecei a flagrar pessoas se comunicando consigo mesmas no supermercado, no trabalho, na lojinha de cosméticos, no consultório médico, no trânsito.
         Fiquei realmente intrigada com isso e percebi que quando não estou conversando com alguém estou conversando comigo, o que é difícil porque estou sempre conversando com alguém. Todos nós estamos conversando o tempo todo, né? Já pensaram em quantas pessoas nós nos deparamos ao longo do dia? Do porteiro do prédio aos amigos, os vizinhos, o chefe, o cabeleireiro, além das pessoas que estão nas Redes Sociais.
         Mas, eu não falo sozinha. Eu falo com o Wilson. Isso mesmo! Dei o apelido de Wilson a essa pessoa que mora dentro do meu cérebro e conversa comigo. É uma analogia ao personagem do filme Náufrago. O pobre coitado conversava com uma bola de vôlei da marca Wilson, lembra? Como essa voz interior não tem forma, chamo de Wilson.



        É um fato que Wilson tem um discernimento danado. Toda vez que aciono Wilson para coisas grandes ou pequenas tem sempre um ponto de vista peculiar que até então eu não tinha enxergado. Aí fui ouvir a voz da ciência para tentar entender porque conversamos sozinhos.

         A explicação que eu tive foi essa: todos nós temos um Wilson dentro da gente e ele serve para organizar os nossos pensamentos e os sentimentos. A psicóloga Maria Marta Ferreira definiu Wilson assim: “esse diálogo interior é um exercício de saúde emocional. É autoconhecimento”. E por que é tão importante? Porque se nos entendermos melhor, nosso diálogo com o outro vai ser mais fluído.
         Sabe aquela história de que se não estamos em um bom dia acabamos descontando no outro? É melhor você conversar com Wilson antes! Já pensou em quantos bons negócios você fecharia se desse mais voz à Wilson e estruturasse melhor os seus pensamentos? O quanto ele pode ser importante quando temos que tomar uma decisão difícil?
         Wiiillllsssssooooonnnnn, cadê você? Rsss...

        Ficou com saudades do Wilson? Vale a pena rever um cadinho do filme:



p.s: Gostaria de agradecer a gentileza da psicóloga Maria Marta Ferreira que bateu um longo papo sobre o assunto comigo. Maria, foi muito esclarecedor! Obrigada.

p.s1: gente, vale lembrar que conversar consigo mesmo não tem nada a ver com Esquisofrenia ou com os amiguinhos imaginários que as crianças tem entre os 4 e 5 anos. São coisas distintas.



http://dnacomunicativo.com.br/produtos/





quarta-feira, 23 de maio de 2012

O dia em que Príncipe Charles virou "mocinho" do tempo


         Ao perceber que o prestígio da monarquia não andava lá aquelas coisas, Príncipe Charles resolveu deixar seus confortáveis aposentos de um de seus castelos para falar com o seu povo.
         Não foi de nenhum púlpito ou das janelas do tradicional Windsor que Charles fez mais um pronunciamento. Foi da televisão mesmo.
         Sem nenhum compromisso com protocolos, o Príncipe, que sempre foi visto como aristocrático demais e arrogante, provou que também tem simpatia e se preocupa com as coisas mundanas que nós, reles mortais, também nos preocupados. Como o clima!
         Charles virou, por poucos minutos, o apresentador do tempo na BBC Escocesa. Falou para milhões de pessoas com a maior desenvoltura possível e até fez piadas. 


        Ah, Charles! Depois de anos ofuscado pela carismática ex-mulher, mostrou ao mundo que também é muito engraçado quando consegue falar a linguagem que seu povo. Não deve ser fácil agüentar o clima da Grã-Bretanha. Nem mesmo para um príncipe.
         Pode até parecer uma boa tacada de marketing, mas o que Charles fez foi o mínimo de esforço para falar com o seu público alvo. Há centenas de anos antes de Cristo, Aristóteles, pai de várias ciências e criador da Retórica, já pregava que somos vistos e analisados pela maneira como nos comunicamos.
         Aristóteles disse: eu preciso saber quem é meu público (Pathos) para criar uma imagem do orador (Ethos). Para isso, vou usar um discurso adequado (Logos). É claro que essa é uma tradução muito simplista da teoria de Aristóteles, mas a intenção é essa: entender quem é meu público e a imagem que esse público tem de mim e como eu me comunico com essas pessoas. Não parece o que todo político faz? Por que não usamos a comunicação a nosso favor?
         E você? Sabe quem são seus clientes? Eles conhecem o seus produtos/sua empresa? Que linguagem você utiliza com eles?
         Charles entendeu o recado e fez a lição de casa!
         Hey, Charles. What´s the weather like today?    

p.s: É, Camila, você vai ter que treinar mais um pouquinho.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

10 dicas para divulgar sua empresa nas Redes Sociais


            A divulgação de posts nas Redes Sociais sempre gera aquela dúvida: será que alguém realmente está vendo o que publico? Qual é o principal horário para divulgar meu conteúdo? E de que maneira?
         Uma pesquisa de um site americano, chamado Bitly, um encurtador de links, resolveu fazer a pesquisa. E o resultado foi este: na maior Rede Social do mundo, o Facebook, os posts mais lidos são aqueles publicados entre às 13h e às 15h, de quarta-feira. O volume de pessoas nessa Rede Social também cai muito a partir das 18h.
         Já no Twitter, a coisa funciona de outra maneira. Os dias de maiores movimentos são de segunda à quinta, entre 11h e 17h. Esses horários são os que funcionam aqui no Brasil.
         Mas, só o horário não funciona. Tem que saber o que você está postando. Por isso, pedi uma ajuda ao especialista em Redes Sociais, Danilo Correia. Ele vai listar outros itens para propagar sua empresa nas Redes Sociais.
Palavras de Danilo: Mais difícil que compreender a necessidade das empresas em legitimar sua presença on-line é estabelecer uma lista com ‘receitas’ de sucesso nas Redes Sociais. Os sites de relacionamento estabelecem uma lógica determinada pelo usuário. Ele decide o que é mais interessante para ele e automaticamente descarta o que não lhe serve. Desta maneira, é preciso compreender a linguagem do seu público, e, principalmente, se comprometer a manter um conteúdo agradável, relevante e interessante. Por isso:






1 – INTERAJA SEMPRE: Antes de tudo, é preciso ser interativo, divertido e prestativo. Uma empresa que faz bom uso do Facebook oferece aos seus fãs links, aplicativos e conteúdos relevantes e envolventes.
2 – APESAR DAS FOTOGRAFIAS gerarem um resultado mais relevante em um curto espaço de tempo, incorpore vídeos em sua timeline. Não há motivo algum para mandar seus fãs ao YouTube se eles podem assistir aos vídeos diretamente de sua página.
3 – O MUNDO REAL AINDA EXISTE:  Conecte seu Facebook, o Twitter, o Foursquare com o “mundo lá fora”. Promova eventos por meio de fotos e updates. A internet é uma extensão da ‘vida real’, as pessoas tem necessidade de se conhecer, se olharem além das ferramentas oferecidas pelo computador.
4 – PROMOÇÕES! Todo mundo adora ganhar coisas. Crie concursos, sorteios, brincadeiras nas Redes Sociais. Concursos são divertidos e engajam as pessoas em torno de um serviço, produto ou causa. Além disso, atrai mais fãs.
5 –OLHAEU! Conte para todo mundo que você está online! Integre o Facebook com mídia off–line. Anuncie seu endereço eletrônico. Adicione a logo do Facebook em anúncios impressos. Estimule as pessoas a conhecerem sua página de fãs.
6 – NETWORKING: use as Redes Sociais para aumentar sua lista de e-mails e vice-versa. A criação de um newsletter pode ser uma excelente estratégia para fidelizar seus fãs e aumentar sua lista de contatos.
7 – PRIVILÉGIOS: Faça o lançamento de novos produtos primeiro na internet. As pessoas que se inscrevem para receber notícias suas no Facebook, por exemplo, geralmente, são os mais fieis consumidores, por isso se chamam fãs. Recompense seus seguidores dando informações em primeira mão e eles o ajudarão a divulgar para outras pessoas.
8 – SEJA BEM VINDO! Deseje boas vindas, bom dia, obrigado aos seus visitantes. Ninguém retorna para uma empresa onde não é bem tratado.
9 – HIPERCONECTADOS: Integre todas as Redes Sociais, do Linked-in ao Facebook. Muitas pessoas utilizam estes sites de relacionamento como porta de entrada na internet, assim, é importante compartilhar conteúdo de outros canais como YouTube e Twitter.
10 – CURTA OUTRAS EMPRESAS: “Curta” outras páginas, siga outras empresas. Ao “linkar” outras páginas de fãs de parceiros, vendedores ou consumidores, os administradores destas páginas serão avisados. Alguns deles podem decidir te curtir de volta e passar a compartilhar seu conteúdo.






quinta-feira, 10 de maio de 2012

Para que serve o Media Training?


                Uma das perguntas que mais escuto todos os dias é: para que serve o Media Training? É um fato que essas duas palavrinhas soam esquisitas à primeira “escutada”. E, se levadas ao pé da letra, parecem algo muito distante da realidade, talvez algo exclusivo do mundo executivo. Mas, não é.
                Media Training não pode ser entendido exclusivamente como “treinamento de mídia” que é a analogia que a maioria das pessoas faz. É, na verdade, um conceito sobre o desenvolvimento da comunicação pessoal e profissional.  E aí, você vai me perguntar: mas, não é para treinar para a exposição na mídia? Também!
                Se pararmos para analisar, todos os dias e, todo momento, estamos lidando com pessoas e praticando a nossa comunicação. Volta e meia eu coloco nesse site posts sobre a importância de analisarmos a maneira como nos comunicamos. Pense bem: quando você chega ao trabalho, antes mesmo de trabalhar, você está se comunicando. Você fala com o porteiro, com a secretária, com um colega de trabalho. Depois, durante suas atividades, você passa todo o seu tempo se comunicando. Quer exemplos? Você fala com clientes, atende telefonemas, manda emails, faz prospecções. Você pode não reparar, mas o que você está fazendo é comunicação. Até mesmo os médicos quando realizam uma cirurgia estão se comunicando com uma equipe inteira.
               Em algumas profissões, o comunicar se torna mais evidente. Como no Jornalismo, na Publicidade. Professores e palestrantes também utilizam muito a comunicação. Assim como coachs, advogados, funcionários públicos e por aí vai. Todos nós usamos a comunicação o tempo todo.





                E o que o Media Training tem a ver com isso? A maneira como nos comunicamos diz muito da gente, como pessoa e como profissional e o mundo ao nosso redor percebe isso. Se eu sei me comunicar bem, possivelmente tenha mais chances de atingir meus objetivos, de conquistar clientes. O Media é uma ferramenta que possibilita entender como você se comunica e como pode melhorar ainda mais sua comunicação.  Seja para uma palestra, uma aula, uma audiência, uma reunião e também para uma entrevista na mídia. É um treinamento prático do desenvolvimento da sua comunicação, seja qual área for a sua.  Para isso, é treinada a maneira como você fala; suas gesticulações; suas expressões; o seu tom de voz em determinada situação; o tipo de discurso que você está usando para que tipo de situação.
                O conceito de Media Training como um treinamento exclusivo para quem vai se expor na mídia surgiu porque, em geral, nos preparamos para “falar bem” quando a nossa exposição é muito grande. Como é o caso da mídia. É evidente que precisamos nos preparar para falar na mídia. Mas, nos esquecemos que precisamos “falar bem” também durante todo nosso dia, com os clientes, filhos, parentes, colegas de trabalho. E o Media Training também cumpre essa função.
                A maioria das pessoas que procura o Media Training está em busca de uma oratória melhor. Mas, logo percebe que expandindo a maneira como se comunica acaba interagindo melhor com os meios onde vive, seja sua casa, seu trabalho, seu ambiente de lazer.
                E aí? Você sabe como você se comunica?